PRÓXIMO ANTERIOR
 
 
 
 
 

História

Um pouco de Nossa História

Impulsionados pelo mandato de evangelizar e profundamente sensíveis à realidade dos mais necessitados, a Comunidade Católica Santos Anjos foi fundada no bairro de Itaipu, na região oceânica de Niterói-RJ, em 17 de julho de 1993, por um grupo de fieis composto por casais, pessoas casadas e jovens, tendo como berço a Paróquia palotina de São Sebastião de Itaipu, tendo sido oficialmente acolhida pela Igreja em maio de 1996, através da aprovação de seus Estatuto pelo então Arcebispo de Niterói, Dom Carlos Alberto Navarro.

Vivendo nossa espiritualidade e partilhando sempre o novo que o Espírito comunica através do nosso carisma, compartilhando o acolhimento restaurador como fundamento do anúncio de Jesus Cristo, a Comunidade Santos Anjos foi descobrindo seus caminhos de formação delineando melhor a organização de seu apostolado e aprimorando suas estruturas de administração, coordenação e de governo, através de documentos e de procedimentos que vieram dar forma e conteúdo à sua Regra e Constituições. Com essa realidade, a Comunidade foi amadurecendo em seu viver mediante a modelagem que Deus, no transbordar de seu infinito amor, carinhosamente nos submeteu e constantemente nos submete como irmãos e irmãs chamados a uma mesma vocação compreendida e vivida na fé católica.

Nossa história se apresenta com claros registros de que no ano de 1986, Deus começou a reunir pessoas vindas de diversos locais da cidade de Niterói, do Rio de Janeiro, de outros estados e mesmo de outros países, com a finalidade de dinamizar a Paróquia de São Sebastião, localizada na região de Itaipu. A maioria dos irmãos e irmãs, incluindo vários casais, trazia em sua bagagem de vida, muitos anos de efetiva participação na Igreja, no trabalho em pastorais, movimentos e serviços. O desafio de uma nova experiência pastoral dirigida pelo então pároco Palotino Pe. Jan Sopicki foi então, naquela época, muito atraente, promovendo no coração de cada um de nós grande avivamento espiritual e um rico despertar missionário, realizando um projeto de evangelização que resultou na fundação de muitas capelas naquela região.

Em meio ao início das pastorais e movimentos, com a implantação dos Cursos de Orientação Religiosa e dos Encontros de Casais, Jovens e Adolescentes, algumas pessoas foram também atraídas pela espiritualidade do Novo Pentecostes e encontraram na Paróquia um pequeno Grupo de Oração Carismático que se reunia nas tardes de sábado. Foi então na Capela da Fonte dedicada a Nossa Senhora da Conceição, exatamente pela perseverança das pessoas nas reuniões de cada sábado, vivendo as dimensões do louvor e da adoração a Deus, partilhando a Palavra, desenvolvendo o conhecimento e acolhendo a todos que eram encaminhados pelo Senhor, começou a nascer entre nós um sentido de maior compromisso fraterno e missionário.

Já na coordenação desse Grupo, participando das Equipes de Serviço e frequentando as reuniões na Paróquia e na Arquidiocese, e ainda porque saímos para evangelizar a pedido de várias paróquias e dioceses, nos deparamos com um chamado especial de Deus que fazia arder nosso coração e nos convocava para a entrega de uma vida apostólica mais intensa. Um chamado exigente; um convite para iniciarmos uma Comunidade de Aliança. E assim, no ano de 1993, ainda sem sabermos muito o significado de tudo o que o Senhor nos apresentava, e depois de passarmos por dois anos de discernimento e formação específica, decidimos iniciar esse entrelaçamento com todo entusiasmo, o que ocorreu durante a Celebração Eucarística na Capela da Igreja da Porciúncula de Santana, ocasião em que 41 pessoas consagraram-se a Deus selando o compromisso como Comunidade, na observância dos nossos primeiros princípios de vida.

Em meio às alegrias, decepções e incompreensões, continuamos vivendo a moção que o Senhor nos havia dado e, em 10 de julho de 2008, precisamente quando completávamos quinze anos de fundação, recebemos a aprovação canônica, tendo sido a Comunidade reconhecida como Associação Privada de Fiéis de Direito Diocesano através de Decreto do Arcebispo de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena, OP.



COMPARTILHE ESTA PAGINA